14/08/2022

A vitamina D é conhecida por seus inúmeros benefícios para o corpo humano, desde contribuir para ossos fortes até auxiliar na resposta imunológica. Mas será que avitamina D tem contraindicação? Qualquer pessoa pode suplementar esse nutriente?

Neste artigo, falamos sobre as doses seguras de vitamina D recomendadas por órgãos de saúde, os problemas dasuperdosageme sobre a importância da suplementação responsável.

Vamos lá?

Vitamina D tem contraindicação?

Hoje, aSociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM)indica a suplementação de vitamina D para grupos específicos¹, que possuem risco de deficiência desse nutriente, entre eles idosos, pacientes com osteoporose, grávidas, entre outros.

Porém, as doses de manutenção de vitamina D preconizadas pela SBEM são consideradas seguras para a população em geral¹.

As quantidades recomendadas para adultos estão entre 400 a 2000 U.I por dia. Já para as crianças, a quantidade costuma ser de 400 a 1000 U.I por dia¹.

Veja a tabela de doses de manutenção diárias de vitamina D indicadas para a população geral e de risco para deficiência, retirada do documento de recomendações da SBEM:

 class=

Mesmo assim, éimportante consultar um médicoantes de qualquer suplementação. Isso porque, apesar de todos os seus benefícios, como auxiliar na saúde óssea, na imunidade etc., em doses erradas a vitamina D também pode ser prejudicial.

Além disso, quando indicada em doses mais altas¹,em casos de deficiência severa, o paciente deve ser monitorado pelo profissional de saúde enquanto estiver realizando a reposição.

Esse cuidado também deve ser tomado em indivíduos com doenças com produção anômala de 1,25di-hidroxivitaminaD pelos tecidos¹,comonas doençasgranulomatosas(sarcoidose, tuberculose e infecçõesfúngicascrônicas) e em alguns linfomas.

Benefícios da vitamina D e importância da suplementação

Ok, você já sabe sevitamina D tem contraindicação, já entendeu a importância de se ater às recomendações de dosagem, mas também é crucial falarmos sobre o papel desse nutriente no organismo e da necessidade de suplementação.

A Vitamina D possui inúmeros benefícios para o corpo humano, sendo fundamental para a manutenção de alguns sistemas e funcionamento de outros:

  • É essencial para a absorção do cálcio no intestino¹
  • Contribui para a formação de ossos e dentes, atuando no estímulo de células ósseas¹
  • Atua no processo de força muscular e equilíbrio¹.
  • Auxilia na resposta imunológica4.

Mas como suprimos as necessidades diárias desse nutriente tão importante?

Segundo a SBEM, não é possível obter as doses diárias necessárias da vitamina D apenas pela alimentação³.

Ela está presente em alguns alimentos como o ovo e alguns peixes, mas em quantidades insuficientes para o aporte diário necessário.

Veja a tabela com os alimentos e a quantidade de vitamina D presente em cada um deles:

 class=
Fonte:Adaptado deArquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia

Como as fontes alimentares são escassas, o sol é imprescindível para manter níveis adequados desse nutriente no organismo, já que a vitamina D também é sintetizada pela pele, por meio dos raios UVB solares.

É importante expor-se ao sol de 10 a 15 minutos, todos os dias, se possívelcom algumaspartes descobertas, como braços e pernas, e protegendo partes mais sensíveis como o rosto.

O problema é que atualmente o estilo de vida da sociedade não favorece a exposição solar adequada para a produção de vitamina D.

Cada vez mais atividades que antes eram feitas em ambientes abertos passam a ser realizadas em ambientes fechados.

Por exemplo, se antes as pessoas se exercitavam em parques, hoje elas optam pela comodidade das academias.

Além disso, alguns outros fatores influenciam a &ldquoqualidade&rdquo dos raios UVB para a produção de vitamina D pela pele5:

  • O uso de protetores solares (imprescindíveis no dia a dia para evitar lesões pela exposição excessiva ao sol)
  • Condições climáticas e ambientais - localização, poluição, estação do ano.

Somados esses fatores, fontes alimentares escassas de vitamina D e dificuldade de exposição solar para sintetizá-la, torna-se difícil suprir as necessidades desse nutriente.

De acordo com o documento de recomendações da SBEM, ahipovitaminoseD é altamente prevalente e constitui um problema de saúde pública em todo o mundo, podendo acometer mais de 90% dos indivíduos em certas populações¹.

Por tudo isso, o uso de suplementos alimentares tem se mostrado uma alternativa segura para obtermos a vitamina D que nosso corpo precisa.

Porém, reforçamos aimportância de consultar um médicopara orientar a suplementação. Além disso, também é fundamental optar por suplementos bem avaliados e marcas responsáveis.

AAddera, por exemplo, é a vitamina D número 1 do Brasil6, sendo a mais recomendada pelos médicos7no país.

 

Referências bibliográficas: