14/08/2022

Assim como para qualquer pessoa, em qualquer idade, a vitamina D para crianças também é importante. Esse nutriente auxilia importantes funções no corpo humano, tendo papel em diversos sistemas, como o musculoesquelético e o imunológico ¹.

De acordo com informações dodocumento de recomendações para o diagnóstico, tratamento e prevenção da hipovitaminose D em pediatria, cerca de 1 bilhão de pessoas sofrem de insuficiência ou deficiência de vitamina D no mundo, entre elas crianças e adolescentes ².

Neste artigo, vamos falar sobre a importância da vitamina D para os pequenos, além de quanto e como as crianças devem obter desse nutriente para manter sua suficiência no organismo. Vamos lá?

Vitamina D para crianças: qual a importância?

A vitamina D tem ação comprovada na mineralização óssea e manutenção equilibrada das taxas de cálcio no organismo ¹.

Portanto, umas das principais funções da vitamina D para crianças é que ela ajuda seu filho a construir ossos fortes.

Esse é um nutriente importante também porque pode ajudar a prevenir o raquitismo, condição de amolecimento dos ossos que pode ocorrer em crianças em crescimento ².

Por isso, a manutenção de níveis adequados de vitamina D, e a prevenção da hipovitaminose D, deve ter início ainda na gestação, durante os cuidados pré-natais, estendendo-se ao nascimento e durante a infância ².

Como as crianças devem obter vitamina D?

A vitamina D para crianças deve ser obtida principalmente pela exposição solar. Isso porque, 80% a 90% da vitamina D em nosso organismo é proveniente da síntese cutânea, quando nosso corpo produz esse nutriente ao ser exposto à luz solar ³.

Alguns alimentos também são ricos em vitamina D, mas não fazem parte da rotina alimentar da maioria dos brasileiros, como por exemplo o salmão e o atum.

Com isso, as fontes alimentares conseguem suprir apenas cerca de 10% a 20% do aporte diário necessário de vitamina D ³.

Veja os alimentos e a quantidade de vitamina D por porção, na tabela abaixo:

 class=
Fonte: Adaptado de Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia

Crianças em amamentação devem ser expostas ao sol de seis a oito minutos por dia, três vezes por semana, apenas com fralda ³.

Em crianças maiores, atividades ao ar livre e o consumo de alimentos ricos em vitamina D devem ser estimulados ³.

Porém, para evitar lesões pelo sol, deve-se tomar certos cuidados, como proteger partes mais sensíveis e não exagerar no tempo de exposição.

Uma outra possibilidade para fornecimento de vitamina D para crianças é a suplementação, como mostraremos mais detalhadamente em outro tópico.

Qual a dose recomendada de vitamina D para crianças?

Todas as crianças precisam de vitamina D logo após o nascimento, em maior ou menor proporção, dependendo da idade, conforme recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria:

  • Crianças menores de 12 meses precisam de 400 UI de vitamina D por dia ²
  • Crianças com mais de 1 ano precisam de 600 UI ou mais de vitamina D por dia ².

Algumas crianças podem precisar de mais vitamina D, por estarem incluídas em grupos considerados de riscos para deficiência desse nutriente ², como aquelas que:

  • Têm certos problemas médicos (por exemplo, obesidade, doença celíaca, fibrose cística, fraturas múltiplas ou dor óssea)
  • Estão cicatrizando por cirurgia óssea (como após cirurgia de fusão para escoliose)
  • Tomam certos medicamentos (como medicamentos anticonvulsivantes) que bloqueiam a forma como o corpo utiliza a vitamina D.

O pediatra vai conversar com você, caso seu filho precise de um suplemento de vitamina D, para orientá-lo sobre dosagem e outros detalhes.

Quando a suplementação de vitamina D é indicada para crianças?

Para a suplementação de vitamina D para crianças, você deve levá-la ao pediatra que faz seu acompanhamento, para que ele avalie a necessidade.

Dependendo das condições de saúde do seu filho, ele pode solicitar uma dosagem laboratorial dos níveis séricos da 25(OH)Vitamina D.

Porém, geralmente esse é um exame indicado apenas quando a criança já possui uma condição que aumenta seu risco de deficiência de vitamina D 4.

Neste teste, pode-se obter um dos seguintes resultados, de acordo com o Global Consensus Recommendations on Prevention and Management of Nutritional Rickets, 2016:

  • Suficiência: > 20 ng/mL
  • Insuficiência: 12 a 20 ng/mL
  • Deficiência: < 12 ng/mL

A depender desses resultados, o médico pode sugerir mudanças alimentares e de hábitos para seu filho, ou a suplementação.

Porém, é importante realizar essa suplementação sob orientação do profissional de saúde, para que ele indique as doses adequadas para o seu filho.

Além disso, também é fundamental optar por suplementos bem avaliados e marcas responsáveis. Addera, por exemplo, é a vitamina D número 1 do Brasil5, sendo a mais recomendada pelos médicos6 no país.

 

Referências bibliográficas: