14/08/2022

Será que realmente existe diferença entre vitamina D, cápsulas ou gotas? Ou se trata apenas do mesmo produto em formatos diferentes?

Primeiro, é importante ressaltar que, independentemente de seu formato, essa é uma vitamina com papel importante para variados sistemas de nosso organismo, tais como o musculoesquelético e o imune ².

Portanto, mais importante que saber a diferença entre vitamina D cápsulas ou gotas, ou comprimidos, é entender se seus níveis desse nutriente estão adequados. Para isso, procure um médico.

Neste artigo, vamos falar sobre quando cada um desses formatos é indicado e o que eles oferecem de vantagem ou desvantagem.

Além disso, vamos falar sobre em que casos a suplementação de vitamina D é realmente indicada.

Vamos lá?

Vitamina D cápsulas ou gotas?

Ser vitamina D cápsulas ou gotas vai depender de quem a está tomando. Mas por quê?

Para pessoas com dificuldade de deglutição, como bebês, por exemplo, as gotas são mais indicadas. Já para outras pessoas geralmente a cápsula é a forma prescrita, mas também nada impede que se opte pelas gotas.

Isso porque, tanto a vitamina D em cápsulas quanto em gotas contém a mesma forma desse importante nutriente. A diferença está apenas em seu formato, na forma como chegaram até o estômago.

A vitamina D em gotas tem a vantagem de não precisar ter sua cápsula digerida, porém, para suplementos como a vitamina D que não precisam de rapidez de ação, isso não faz muita diferença no seu efeito final.

Já as cápsulas, demoram um pouquinho mais para serem digeridas e ter seu conteúdo em contato direto com o estômago. No entanto, essa diferença é muito pequena e na prática não altera sua ação.

Quanto às doses, se vai divergir ou não quanto à quantidade de vitamina D por porção, vai depender do suplemento escolhido.

Addera, por exemplo, possui diversas apresentações em gotas e cápsulas. É possível, por exemplo, encontrar apresentações que possuem a mesma quantidade de vitamina D presente em 1 cápsula e 1 gota, como no caso Addera 1.000U.I. e Addera Gotas 1.000U.I. Vejamos as tabelas nutricionais abaixo:

Vitamina D em cápsulas ou gotas

 

Vitamina D em cápsulas ou gotas?

Podemos ainda fazer essa comparação entre vitamina D comprimido ou gotas. Aqui também entra o fato do comprimido demorar um pouco a mais para ser digerido pelo corpo. Quanto à dose, pelo menos no caso Addera, também existe apresentação 1.000U.I de 1 comprimido também vai equivaler à 1 gota do Addera Gotas 1.000U.I. Veja:

Vitamina D em comprimido ou gotas?

Reforçamos, porém, que, antes de iniciar qualquer suplementação, você deve procurar um profissional de saúde para orientá-lo. Um médico vai saber dizer qual o formato mais indicado para seu caso e a dosagem recomendada.

Mas, afinal, quem precisa suplementar vitamina D?

Se chegou até este artigo para saber se vitamina D cápsulas ou gotas tem diferenças, esperamos ter esclarecido sua dúvida.

Porém, se essa era sua dúvida, pode ser que você também precise saber quando é que a suplementação de vitamina D é indicada, correto?

A maioria das pessoas pode suprir suas necessidades de vitamina D através da síntese cutânea, promovida pela exposição solar ². 10 a 15 minutos ao sol são suficientes para conseguir doses suficientes desse nutriente ³.

Quanto às fontes alimentares, elas são escassas, encontrando-se principalmente em peixes gordurosos, como salmão, cavala e sardinha ³.

A suplementação de vitamina D geralmente é indicada em grupos de risco para a deficiência desse nutriente, tais como ²:

  • Gestantes
  • Idosos com histórico de fraturas
  • Obesos
  • Pacientes com doença renal crônica
  • Pacientes com síndromes de má-absorção (fibrose cística, doença inflamatória intestinal, doença de Crohn)
  • Pacientes com raquitismo/osteomalácia, osteoporose e hiperparatiroidismo secundário.

Porém, atualmente, o estilo de vida não favorece a exposição solar adequada para a síntese cutânea de vitamina D, com cada vez mais atividades sendo realizadas em ambientes fechados.

Fatores como o uso de protetor solar e condições climáticas e ambientais também podem influenciar a &ldquoqualidade&rdquo dos raios UVB para a produção de vitamina D pela pele 4.

Segundo a SBEM, a hipovitaminose D constitui um problema de saúde pública em todo o mundo, podendo acometer mais de 90% dos indivíduos em certas populações ².

Com isso, o uso de suplementos alimentares tem se mostrado uma alternativa segura para obter a vitamina D de que o corpo precisa.

Porém, reforçamos a importância de consultar um médico para orientar a suplementação.

Além disso, também é importante optar por suplementos bem avaliados e marcas responsáveis. Addera, por exemplo, é a vitamina D número 1 do Brasil 5, sendo a mais recomendada pelos médicos no país 6.

 

Referências bibliográficas: