14/08/2022

Muitas vezes, quando os pais notam qualquer alteração no bem-estar da criança, bate logo aquele desespero e também dúvidas sobre como ajudar, não é mesmo? Por isso, é importante entender como funciona a imunidade infantil e o que fazer para ajudar os pequenos a ficarem protegidos.

Dessa forma, mesmo que os ver doentinhos seja de cortar o coração, você os ajudará a estar mais bem preparados para enfrentar os desafios pelos quais seu organismo passará, como as inúmeras infecções que ocorrem ao longo da infância, e se sentirá mais tranquilo.

Vamos lá?

Como acontece o desenvolvimento do sistema imunológico infantil?

A imunidade infantil começa a se formar ainda na gestação, quando a mãe transfere anticorpos para o bebê ¹. Por isso, é essencial que a gestante mantenha as vacinas em dia durante a gravidez.

Logo que o bebê nasce, inicia-se a amamentação, que também é um fator crucial para o desenvolvimento do sistema imunológico infantil.

O leite materno, além de fornecer quantidade significativa de glóbulos brancos (principal célula de defesa do organismo) ao neném, é rico em muitos outros nutrientes essenciais à saúde dos pequenos ¹.

Os anticorpos que a mãe transfere ao bebê na gestação permanecem até cerca de um ano de idade, quando a criança começa a entrar em contato com agentes infecciosos, adoecer e, assim, criar sua própria &ldquomemória imunológica&rdquo, fundamental para protegê-la de futuras reinfecções 1.

Além disso, e não menos importante, a imunidade infantil vai sendo construída com as vacinas de rotina, cruciais para a produção de anticorpos e proteção contra diversos agentes infecciosos a que somos submetidos ao longo da infância e da vida ¹.

Portanto, pais que estejam lendo este artigo, não se esqueçam de conversar com o pediatra sobre o calendário vacinal de seu filho e manter o cartão de vacinação em dia. Afinal, criança vacinada, criança protegida!

O que é bom para imunidade baixa infantil?

Como podemos perceber, a imunidade infantil é imatura, principalmente até os 2 anos de idade, e sua resposta imunológica vai sendo construída ao longo de seu desenvolvimento. Com isso, crianças tendem a ser mais suscetíveis a infecções ¹.

As infecções virais respiratórias são as mais comuns de afetarem crianças, ocorrendo de 6 a 8 vezes por ano nas menores de 5 anos de idade ², principalmente quando essas crianças frequentam creches e escolas.

Portanto, há de se ter cuidado com esse termo &ldquoimunidade baixa infantil&rdquo, pois, como a resposta imune dos pequenos ainda está em construção, é comum que adoeçam com mais frequência e isso, na maioria das vezes, não quer dizer que sua imunidade está mais baixa que o normal.

Porém, como seu sistema imunológico ainda está em desenvolvimento, tudo que você puder fazer para auxiliar a imunidade da criança é fundamental para que ela não fique desprotegida, não é mesmo?

Dois dos pilares da imunidade infantil já foram mencionados no tópico anterior: o aleitamento materno e a vacinação.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda a amamentação exclusiva durante os seis primeiros meses de vida, e de forma complementar até os dois anos, quando então se inicia a introdução alimentar.

Quanto à vacinação, como dissemos, existe um calendário vacinal, com todas as vacinas obrigatórias para cada idade da criança. Converse com o pediatra para entender as recomendações.

Além disso, fornecer nutrientes necessários ao desenvolvimento da criança, por meio de uma dieta nutritiva e balanceada, com alimentos para imunidade infantil que incluam todos os grupos nutricionais (proteínas, gordura, carboidratos e vitaminas e minerais essenciais) também é fundamental para auxiliar o sistema imune dos pequenos ³.

Suplemento alimentar infantil: quando é necessário?

Como vimos, a imunidade infantil é ainda imatura e o aleitamento materno, a vacinação e uma dieta balanceada são imprescindíveis para auxiliar o desenvolvimento da resposta imune dos pequenos.

A amamentação e uma alimentação saudável geralmente são suficientes para suprir as necessidades nutricionais da criança. Porém, há alguns casos de recomendação de suplemento alimentar infantil pela Sociedade Brasileira de Pediatria, como por exemplo, a vitamina D e o ferro 4.

Consulte o pediatra do seu filho para orientações sobre suplementos e dosagens a serem ministradas.

Falando em suplementos, você já conhece Addera, a vitamina D mais indicada pelos médicos no país 5? Nossa linha Addera + Imunidade Kids foi pensada para auxiliar a imunidade das crianças por meio de nutrientes essenciais ao sistema imune. Conheça!

 

Referências bibliográficas: