14/08/2022

Você sabe o que é a gripe H3N2, que tem aparecido nos noticiários constantemente?

H3N2 é um subtipo do vírus influenza A, um dos principais responsáveis pela gripe comum e pelos resfriados. Uma nova cepa da A(H3N2), batizada de Darwin, tem causado surtos regionais de gripe no país, mesmo em época atípica (verão), pois geralmente acontece no inverno.

Portanto, é importante que você entenda como esse vírus funciona para que possa se prevenir adequadamente, além de saber quando você deve procurar um médico.

Vamos lá?

Um pouco mais sobre o que é gripe H3N2

A gripe H3N2 é um vírus respiratório, transmitido entre pessoas por meio de gotículas liberadas no ar quando quem está gripado tosse ou espirra.

Depois que alguém se contamina, existe um período de incubação do vírus, que é de três a cinco dias. Isso quer dizer que a pessoa só começa a apresentar sintomas da doença após esse intervalo.

Também há casos em que a pessoa contaminada não apresenta nenhum sintoma, mesmo após o período de incubação.

A transmissão da gripe H3N2 pode começar até um dia antes de começarem os sintomas, mas geralmente o período de maior risco de contágio é quando os sinais aparecem, principalmente febre, tosse e espirros.

Porém, mesmo com poucos sintomas, é possível transmitir a doença. Então, se teve contato com alguém gripado, redobre os cuidados imediatamente para não contaminar outras pessoas, ok?

Em geral, o período de transmissão do vírus dura até 14 dias em crianças, e até sete dias nos adultos.

Quais os sintomas da gripe H3N2?

Os sintomas da gripe H3N2 são:

  • Febre, geralmente alta e mais comumente no início do quadro
  • coriza (nariz escorrendo)
  • dor de garganta
  • tosse
  • dor muscular e fadiga
  • perda de apetite
  • dor de cabeça
  • mal-estar

Se você apresentar os sintomas da gripe H3N2, procure atendimento médico. Segundo o Ministério da Saúde, &ldquoapesar de ser um vírus com letalidade menor que a Covid-19, a H3N2 tem mais chances de evoluir para casos graves em grupos de risco (crianças, idosos, gestantes e indivíduos com comorbidades)&rdquo.

Qual a diferença entre gripe H1N1 e H3N2?

A H1N1 se trata de um outro subtipo da influenza A. Apesar das diferenças genéticas apresentadas entre o H1N1 e a H3N2, os sintomas tendem a ser bem parecidos sendo muito difícil diferenciá-las pelo quadro clínico.

Como evitar a gripe H3N2?

De acordo com especialistas, para evitar a gripe H3N2, você deve ter cuidados como:

  • manter o distanciamento de pessoas infectadas
  • evitar aglomerações
  • usar máscaras
  • higienizar constantemente as mãos.

Apesar de já haver vacinas disponíveis que contenham a cepa H3N2, a vacina oferecida pelo programa nacional de imunização em 2021 não contemplava essa variante em sua composição.

Porém, segundo o Instituto Butantan, há previsão de inclusão dessa cepa na vacina que será aplicada na população em 2022. A vacinação tem grande valor para prevenir quadros graves e mortes por influenza.

Também é importante manter o organismo preparado para enfrentar os desafios da gripe H3N2, mantendo sua imunidade em dia.

Para ajudar seu sistema imunológico é importante seguir as diretrizes gerais de boa saúde. A seguir, listamos algumas dicas para você3, confira!

  • Não fume e evite bebidas alcoólicas
  • Tenha uma dieta balanceada e nutritiva e hidrate-se
  • Pratique exercícios regularmente
  • Mantenha bons níveis de vitamina D, ela ajuda sua imunidade
  • Mantenha um peso saudável
  • Durma o suficiente
  • Tome medidas para evitar infecções, como lavar as mãos com frequência
  • Tente minimizar o estresse
  • Mantenha as vacinas em dia.

Falamos sobre o assunto aqui no blog, dando dicas detalhadas de como cuidar das suas defesas. Você pode encontrar o artigo aqui: Como deixar a imunidade em dia? 10 dicas essenciais.

Ainda falando sobre manter a imunidade em dia, você conhece Addera, a vitaminas mais recomendada pelos médicos4 do país? Com a linha Addera + Imunidade, você tem vários nutrientes para ajudar seu sistema imune, em um único complexo vitamínico. Confira!

 

Referências bibliográficas: