14/08/2022

A vitamina D é na verdade um pré-hormônio e pode ser produzida pelo organismo. Sua atuação no corpo humano se dá principalmente nos sistemas musculoesquelético e imunológico.

Neste artigo você vai saber tudo sobre vitamina D:

  • O que é vitamina D
  • Como o corpo produz
  • Benefícios
  • Dose diária de manutenção recomendada
  • Valores de referência em exame laboratorial
  • Deficiência e superdosagem

 

  • Fontes de vitamina D e como obter.

Vamos lá?

O que é vitamina D?

A vitamina D (também conhecida como &ldquocalciferol&rdquo) é um nutriente utilizado pelo corpo em funções importantes, auxiliando o funcionamento de sistemas musculoesquelético ¹ e imunológico ³.

Apesar de ser conhecida como vitamina, na verdade é considerada um pré-hormônio e pode ser produzida pelo corpo ¹.

Os raios UVB solares ativam a síntese de vitamina D quando entram em contato com a pele, através de um precursor cutâneo conhecido como 7-DEIDROCOLESTEROL ¹.

Em países com boa exposição solar, 90% a 95% da vitamina D pode ser obtida através da radiação solar. ²

Ela também pode ser obtida através da alimentação, apesar de as fontes alimentares poderem suprir apenas em torno de 20% das necessidades do organismo. ²

Além disso, existe a possibilidade de suplementar esse nutriente, mas isso só deve ser feito com a devida orientação de um profissional de saúde.

A vitamina D tem duas formas principais, D2 (ergocalciferol) e D3 (colecalciferol). Ambas podem ser obtidas através da alimentação e suplementação, no entanto, somente a D3 é sintetizada a partir da exposição solar 4.

Como o corpo produz vitamina D?

Para realmente saber tudo sobre vitamina D precisamos entender como o corpo produz esse nutriente tão importante.

A vitamina D proveniente dos alimentos e da exposição solar não está pronta para ser utilizada pelo organismo como as outras vitaminas.

Para ser ativada, ela passa por um processo químico conhecido como hidroxilação (introdução de um grupo hidroxila (-OH) em um composto orgânico).

A primeira hidroxilação, que ocorre no fígado, converte a vitamina D em 25-hidroxivitamina D [25 (OH) D], também conhecida como &ldquocalcidiol&rdquo.

A segunda hidroxilação ocorre principalmente no rim e forma a 1,25-dihidroxivitamina D [1,25 (OH) 2D], também conhecida como &ldquocalcitriol&rdquo. Esta é a forma mais ativa e é responsável por estimular a absorção de cálcio e fosfato pelo intestino ¹.

 class=

 

Processo de ativação da vitamina D / Fonte: Recomendações da SBEM para o diagnóstico e tratamento da hipovitaminose D

Leia também: Como o corpo produz vitamina D?

Para que serve a vitamina D?

Para saber tudo sobre vitamina D você precisa entender para que serve esse pré-hormônio.

Entre suas funções, a principal atuação do calcitriol é a manutenção do cálcio no organismo. 5

Ou seja, a vitamina D auxilia no desenvolvimento de um esqueleto saudável, a manutenção da saúde óssea. 5

Além disso, ela também atua nos processos de proliferação celular, ajudando a controlar a proliferação das células, evitando que esse processo acabe descontrolado. 5

Outro aspecto importante que depende da participação do hormônio é a força e equilíbrio corporal, pois a vitamina D, em sua forma ativa, está presente em diversos tecidos e órgãos, como é o caso dos neuromusculares. 5

Quando o assunto é prevenção de doenças, a "vitamina-homônio" também pode ser benéfica. Segundo alguns estudos, a vitamina D pode impactar a secreção de insulina. Em outras palavras, acredita-se que ela possui ação protetora contra o desenvolvimento de diabetes tipo 2. 5

Mas, indo ainda além, uma das maiores e mais fundamentais funções da vitamina D é auxiliar a resposta imunológica do organismo. 5

Quando em quantidades adequadas, ela ajuda na proliferação de células de defesa, autando tanto na resposta inata quanto adquirida, assim como no controle de agentes inflamatórios. 5

Principais benefícios da vitamina D

Os benefícios mais conhecidos e estudados da vitamina D no organismo são:

Ação no sistema musculoesquelético

A vitamina D é essencial para a absorção do cálcio no intestino e influencia o sistema musculoesquelético ¹.atraves do fortalecimento ósseo.

Ela ajuda a manter concentrações de cálcio e fósforo adequadas para permitir a mineralização óssea normal 6.

Além disso, como o tecido muscular expressa receptores de vitamina D, pode-se observar quadro de fraqueza muscular e miopatia em pacientes com deficiência grave desse nutriente ¹.

Também é necessária para o crescimento e remodelação óssea por osteoblastos e osteoclastos (células ósseas). Sem vitamina D suficiente, os ossos podem se tornar finos, quebradiços ou deformados 6.

A suficiência de vitamina D pode prevenir o raquitismo em crianças e, junto com o cálcio, também pode ajudar a proteger os adultos mais velhos da osteoporose 5.

Auxílio da resposta imunológica

A vitamina D é conhecida por ser imunomoduladora, ou seja, ela tem a capacidade de auxiliar a resposta imunológica ³.

Ela pode atuar na chamada imunidade inata (aquela com a qual já nascemos) auxiliando na proliferação de células de defesa e na produção de substâncias antimicrobianas ³.

Já na imunidade adquirida (formada ao longo da vida pelo contato com patógenos) pode ajudar controlando a liberação exagerada de substâncias inflamatórias ³.

Além disso, como a vitamina D ajuda a controlar a produção de anticorpos contra si mesmo (autoanticorpos), há indícios de que ela possa ter uma aplicação terapêutica para aliviar doenças autoimunes ³.

Onde encontrar vitamina D?

Agora que você já sabe quase tudo sobre vitamina D, para ficar ainda mais completo, vamos explicar como e onde você pode encontrar esse pré-hormônio para garantir que seu nível esteja dentro do ideal.

Exposição solar

Se você não passa alguns minutos do seu dia exposto ao sol, certamente seus níveis de vitamina D são baixos. ²

Isso porque essa é a forma mais adequada para o pré-hormônio ser sintetizado. ²

Alimentação

Por mais que sozinha a alimentação não consiga oferecer a quantidade ideal de vitamina D que o organismo precisa, ela não deixa de ser uma forma de obtê-la. E, claro, não deve ser ignorada. ²

A vitamina D está presente em: ²

  • Peixes como salmão, atum, sardinha e cavala

 

  • Óleo de fígado de bacalhau
  • Cogumelos
  • Gema de ovo.

Por isso, sempre que possível, inclua esses alimentos em suas refeições.

Suplementação

Por fim, a suplementação é outra forma de obter vitamina D. Esse caminho, no entanto, por mais que seja mais eficiente e rápido, só deve ser uma opção caso haja indicação médica. ¹

Em geral, a suplementação é recomendada para grupos que possuem maior risco de apresentar deficiência da "vitamina-hormônio". ¹

Doses recomendadas de vitamina D

A dose diária para manutenção de vitamina D recomendada pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) varia entre adultos e crianças saudáveis e população com risco de deficiência (idosos, pacientes com osteoporose, grávidas, entre outros).

Observe a tabela da SBEM abaixo:

 class=

Além disso, esses valores podem ser maiores ou menores dependendo das condições de saúde de cada pessoa, doenças adjacentes e em casos de deficiência de vitamina D ¹.

Por isso, é fundamental procurar um profissional de saúde para que ele avalie o seu caso, antes de usar qualquer suplemento alimentar.

Leia também: Como tomar vitamina D?

Valores de referência para dosagem de vitamina D

Um exame de sangue, chamado de 25(OH)D, pode medir o nível de vitamina D no organismo. Mas ele geralmente é recomendado apenas quando há suspeita de deficiência em populações de risco ¹.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia os valores de referência laboratorial para os níveis de vitamina D 25 (OH) são ²:

  • Acima de 20 ng/mL: valor desejável para população saudável (até 60 anos)
  • Entre 30 ng/mL e 60 ng/mL: valor recomendado para grupos de risco
  • Acima de 100 ng/mL: risco de toxicidade e hipercal­cemia.

Deficiência de vitamina D

A deficiência de vitamina D, ou hipovitaminose D, geralmente está ligada à exposição solar insuficiente (já que a exposição solar é a maior fonte vitamina D) ou consumo diminuído na dieta ¹.

Além disso, há populações com maior risco de hipovitaminose D ¹, entre eles:

  • Gestantes (grávidas geralmente são orientadas a evitar a exposição ao sol)
  • Idosos (a capacidade da pele de produzir vitamina D quando exposta ao sol diminui com a idade) 7
  • Obesos (geralmente possuem vitamina D mais baixa do que não obesos e isso pode se agravar ainda mais após cirurgia bariátrica)
  • Pessoas com pele escura (a melanina atua como barreira para a radiação UVB) ²
  • Pacientes com doença renal crônica
  • Pacientes com síndromes de má-absorção (fibrose cística, doença inflamatória intestinal, doença de Crohn)
  • Pacientes com raquitismo/osteomalácia, osteoporose e hiperparatiroidismo secundário.

Como a vitamina D é importante para a regulação do sistema imunológico, ósseo e muscular, sua deficiência pode causar problemas musculoesqueléticos, além do aumento de ocorrência de infecções 8.

Em crianças, a deficiência de vitamina D pode causar raquitismo, uma doença em que os ossos ficam moles, fracos, deformados e doloridos. Em adolescentes e adultos, osteomalácia, um distúrbio que causa dores nos ossos e fraqueza muscular 7.

Alguns estudos indicam que a deficiência de vitamina D pode estar relacionada com o aparecimento de doenças crônicas e autoimunes, como, por exemplo, o lúpus eritematoso sistêmico e doenças cardiovasculares ².

Quais os riscos da deficiência de vitamina D?

Como vimos em para que serve a vitamina D, ela está presente em muitos tecidos e órgãos, e participa de muitos processos em nosso organismo. 5

Por isso, a falta da vitamina D no corpo nunca é um bom negócio. 5

Por ser importante em vários aspectos, a deficiência de vitamina D pode levar a:

Falta de cálcio nos ossos

Essa é uma das maiores consequências da falta de vitamina D no organismo. Isso acontece porque, como o hormônio está em níveis baixos, a absorção de cálcio por meio da alimentação acaba comprometida. 10

Para suprir essa necessidade, o corpo passa a buscar o nutriente em outros tecidos, como os ossos, deixando-os mais fracos. 10

Comprometimento da imunidade

Como vimos, a vitamina D é muito importante para a imunidade. Por isso, quando ela está baixa, a presença de agentes infecciosos tende a aumentar, ao passo que a resposta imune do organismo fica prejudicada. 10

Problemas dérmicos

Outra função da vitamina D é atuar na divisão celular, certo? No entanto, se não está em níveis ideais, esse processo acaba comprometido. 5

E alguns dos pontos em que podemos ver esse prejuízo são na pele, cabelo e unhas, pois a divisão de células como os queratinócitos, responsáveis pela síntese de queratina, acaba prejudicada. 10

Além desses pontos, a falta de vitamina D também pode trazer consequências específicas para as crianças e idosos. 6

Nos pequenos, a deficiência do hormônio pode causar uma condição de amolecimento dos ossos, conhecido como raquitismo. 6

No caso dos mais velhos, o enfraquecimento ósseo é o maior risco. 6

Como obter vitamina D?

Agora você já sabe quase tudo sobre vitamina D, resta apenas falarmos sobre suas fontes e como obter.

Como explicamos no início deste artigo, é possível obter vitamina D através da exposição solar, de alimentos e também da suplementação.

Veja abaixo as principais fontes alimentares de vitamina D:

 class=
Fonte: Adaptado de Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia

Porém, a principal forma de obter vitamina D é a exposição solar. Você deve expor-se ao sol de 10 a 15 minutos, todos os dias, com braços e pernas descobertos e protegendo partes mais sensíveis como o rosto 11, no período das 10-16:00h, e como sabemos dos efeitos nocivos do sol neste horário, é cada vez mais difícil que a eposicao solar adequada aconteça, e consequentemente, consigamos manter os níveis de vitamina D em dia.

Quando alguém não tem acesso às fontes mencionadas ou elas não são suficientes para suprir a vitamina D de que o corpo precisa, o uso de suplementos alimentares mostra-se uma alternativa viável.

Porém, reforçamos que é fundamental consultar um profissional de saúde para orientar a suplementação.

Além disso, também é importante optar por suplementos bem avaliados e marcas responsáveis. A Addera, por exemplo, é a vitamina D número 1 do Brasil, sendo a mais recomendada pelos médicos no país. 12 13

 

Referências bibliográficas: