14/08/2022

Você sabe o que é raquitismo? O raquitismo é definido como um problema ósseo que afeta crianças. Acontece quando os ossos do seu filho não se formam corretamente, podendo causar dores e até deformações.

Neste artigo, vamos conhecer tudo a respeito dessa condição: suas causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e prevenção.

Vamos lá?

O que é raquitismo?

O raquitismo consiste em uma condição que afeta os ossos das crianças pequenas, fazendo com que eles fiquemmenos resistentesesedeformem com facilidade. É,atualmente,umacondição rara.

A maioria dos casos de raquitismo está relacionada à falta de vitamina D ¹. Isso porque essa vitamina tem ação comprovada na mineralização óssea (processo de fixação dos minerais cálcio e fósforo no osso), que deixa os ossos mais resistentes. ².

Todas as células que compõem o esqueleto - condrócitos, osteoblastos e osteoclastos - contêm receptores da vitamina D. Portanto, ela é necessária para o crescimento e remodelação óssea normais ³.

Se seu filho não ingerir vitamina D suficiente, seu corpo pode não obter os nutrientes necessários para fortalecer os ossos. Como consequência, ele pode desenvolver oraquitismo infantil ¹.

INSERIR IMAGEM RAQUITISMO

 class=
Fonte:AlilaMedical Media

Esta é uma condição mais comum em crianças de 6 a 24 meses. Isso ocorre porque seus ossos crescem rapidamente durante este período ¹.

Seu filho também pode estar em risco se ¹:

  • não recebe exposição suficiente à luz solar
  • não come alimentos suficientes que contenham vitamina D, cálcio ou fósforo
  • está em aleitamento materno exclusivo e sem suplementar vitamina D

 

  • tem uma doença que impede o corpo de produzir ou absorver vitamina D, comopor exemploa doença celíaca.

Além disso, o raquitismo também pode ocorrer em famílias e as crianças podem herdá-lo ¹. Um exemplo é oraquitismohipofosfatêmico, condição genética na qual o fosfato, mineral essencial para a rigidez óssea, não é metabolizado de forma adequada. No entanto, essa é uma condição extremamente rara.

Quais são os sintomas de raquitismo?

Agora que você já sabeo que é raquitismo, deve estar curioso para entender como essa condição se manifesta na criança, não é mesmo?

Os sintomas de raquitismo podem incluir ¹:

  • crescimento atrasado
  • fraqueza muscular
  • dor nos ossos da coluna, pélvis e pernas.

Além disso, como o raquitismo pode suavizar as placas de crescimento nas extremidades dos ossos, algumas deformidades esqueléticas podem se manifestar, tais como:

  • pernas arqueadas
  • pulsos e tornozelos engrossados
  • projeção do esterno.

O raquitismo também pode causar problemas dentários, como cáries e problemas na estrutura dos dentes ¹.

Como é feito o diagnóstico de raquitismo?

A primeira coisa a se fazer, se a criança apresentar alguns dossintomas de raquitismoapresentados anteriormente, éprocurar um médico.

Para fazer odiagnóstico de raquitismo, o médico irá perguntar sobre o que seu filho está sentindo, sobre seu histórico médico, pessoal e familiar, além de medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade ¹.

Além disso, provavelmente o médico irá perguntar sobre hábitos da criança, como se ela costuma brincar ao ar livre e com qual regularidade e se sempre usa protetor solar.

Também pode perguntar sobre o histórico de desenvolvimento do seu filho, como sobre quando ele começou a andar etc.

O médico ainda pode realizar um exame físico completo e solicitar outros exames complementares para confirmar o diagnóstico, tais como testes de sangue e radiografias ósseas ¹.

Como é o tratamento para o raquitismo?

Agora que você sabeo que é raquitismo, além de conhecer seus sintomas e saber como é feito o diagnóstico, falta falarmos sobre seu tratamento.

O tratamento para o raquitismo depende do seu tipo. Para crianças que carecem de nutrientes suficientes, é necessário aumentar a absorção de vitamina D e cálcio ¹.

Isso pode se dar através da alimentação, exposição solar e até mesmo de suplementação.O médico vai orientar o que deve ser feito.

Se seu filho tem deformações ósseas causadas ​​por raquitismo, ele pode precisar de outros tipos de procedimentos, como uma cirurgia, por exemplo, para corrigir o problema ¹.

Em casos de raquitismo genético, tratamentos mais especializados serão necessários. O médico vai orientá-lo sobre como proceder.

O raquitismo pode ser evitado?

Como afalta de vitamina D pode causar raquitismo, é importante manter níveis adequados desse nutriente no organismo da criança para evitar o aparecimento dessa condição.

Toda criança precisa de vitamina D logo após o nascimento, em maior ou menor proporção, dependendo da idade:

  • bebês menores de 12 meses precisam de 400 UI de vitamina D por dia4
  • a partir de 1 ano, precisam de 600 UI ou mais de vitamina D por dia4.

Veja a tabela com as doses de vitamina D recomendadas para bebês e crianças:

 class=
Fonte: Documento de Atualização de Condutas em Pediatria / Sociedade de Pediatria de São Paulo

 

Como obter vitamina D?

A vitamina Dé obtida principalmente pela exposição solar. Isso porque, 80% a 90% da vitamina D em nosso organismo é proveniente da síntese cutânea, quando nosso corpo produz esse nutriente ao ser exposto à luz solar5.

De acordo com o documento &ldquoAtualização de Condutas em Pediatria&rdquo, da Sociedade de Pediatria de São Paulo, bebês lactentes devem ser expostos ao sol apenas com fralda, de seis a oito minutos por dia, três vezes na semana. Ou por 17 minutos ao dia, quando apenas a face e as mãos da criança sãoexpostas5.

Em crianças maiores, você pode estimular atividades ao ar livre, que garantam o tempo de exposição adequado para a síntese de vitamina D5.

Atualmente, a Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda a suplementação de vitamina D para bebês, até os 2 anos de idade, como forma de prevenção do raquitismo.4

A suplementação de vitamina D pode ser iniciada a partir da primeira semana de vida.5.

A suplementação ainda pode ser indicada para as mulheres, durante a gravidez e em períodos de aleitamento materno4.

Existem, ainda, algumas outras situações de risco em que pode haver necessidade maior de suplementação de vitamina D5:

  • obesas
  • desnutridas
  • portadoras de doenças crônicas: má absorção (fibrose cística, doença deCrohn, doença celíaca) e neuropatias síndrome nefrótica/doença renal crônica insuficiência hepática
  • que fazem uso prolongado de corticosteroides, anticonvulsivantes, antifúngicos, antirretrovirais, rifampicina, isoniazida ecolestiramina.

Porém, para realizar a suplementação de vitamina D, você deve levar seu filho ao pediatra que o acompanha.

Além disso, também é fundamental optar por suplementos bem avaliados e marcas responsáveis.Addera, por exemplo, é a vitamina D número 1 do Brasil6, sendo a mais recomendada pelos médicos no país7.

 

Referências bibliográficas: