14/08/2022

Você sabe qual médico procurar para imunidade baixa e o que fazer? Neste artigo, vamos explicar quais são os sinais de que suas defesas estão comprometidas, qual especialista pode ajudá-lo e o que fazer para cuidar do seu sistema imunológico.

Vamos lá?

Por que você acha que sua imunidade está baixa?

Antes de saber qual médico procurar para imunidade baixa, é importante falarmos um pouco sobre alguns sinais de que suas defesas não estão funcionando como devem.

Seu sistema imune é composto por diferentes tipos de células, tecidos e órgãos, que trabalham conjuntamente para protegê-lo contra bactérias, vírus e outras coisas que podem causar infecções.

Quando ele não está funcionando como deveria, seu corpo pode dar alguns sinais. O primeiro e mais importante deles é a recorrência de infecções e a demora para melhorar ¹.

Se antes você quase não ficava doente e, de repente, começa a ficar frequentemente resfriado ou com outras infecções, e demora a se recuperar, isso pode ser um sinal de alerta.

Alguns outros sinais de imunidade baixa podem ser ¹:

  • fadiga excessiva, sem motivo aparente
  • problemas intestinais, como diarreia constante
  • lesões que demoram a cicatrizar.

Qual médico procurar para imunidade baixa?

Se você desconfia que tem um sistema imunológico enfraquecido, em primeiro lugar, você deve procurar um profissional de saúde, para que ele investigue por que você fica constantemente doente.

Mas qual médico procurar para imunidade baixa? Em um primeiro momento, você pode buscar pelo seu médico habitual, para que ele dê início ao seu diagnóstico.

Ele provavelmente vai fazer várias perguntas sobre sua saúde, histórico médico pessoal e familiar, doenças crônicas, hábitos de vida etc.

Também pode realizar um exame físico, no qual avalia sinais vitais, pressão arterial, respiração, entre outros aspectos.

Essa anamnese inicial é feita para tentar entender as causas que podem o estar levando a ficar frequentemente doente. Isso porque um sistema imune enfraquecido pode ter muitas razões ²:

  • alguma condição crônica de saúde
  • medicamentos que você esteja utilizando
  • idade avançada
  • nutrição pobre, devido a alimentação inadequada
  • gravidez, entre outros fatores.

Dependendo dos resultados dessa primeira avaliação, caso ele considere que você possa ter problemas mais sérios de imunidade, ele vai encaminhá-lo a um especialista da área, um imunologista.

Um imunologista é um médico capacitado para diagnóstico e tratamento das Imunodeficiências Primárias, doenças genéticas por falha no desenvolvimento e nas funções do sistema imunológico ³.

O que fazer para ajudar a imunidade?

Tendo em vista que você já sabe qual médico procurar para imunidade baixa, se sentir qualquer sinal de que suas defesas estão comprometidas, procure-o.

Mas, existem algumas medidas simples, que você pode adotar em seu dia-a-dia e que podem ajudá-lo a manter seu sistema imune funcionando adequadamente.

Essas medidas são baseadas em um estilo de vida saudável e nas diretrizes gerais de boa saúde ². São elas:

  1. não fumar
  2. não beber álcool em excesso
  3. manter uma dieta balanceada e nutritiva e hidratar-se
  4. praticar exercícios físicos regularmente
  5. manter bons níveis de vitaminas e outros nutrientes essenciais para a imunidade
  6. manter um peso saudável
  7. dormir o suficiente e ter um sono de qualidade
  8. tomar medidas para evitar infecções, como lavar as mãos com frequência
  9. tentar minimizar o estresse
  10. manter as vacinas em dia.

Leia também: Alimentos que ajudam a imunidade: confira 8 que não podem faltar na mesa

Nutrientes aliados da imunidade

Fornercer os nutrientes essenciais de que o corpo precisa, é fundamental para o bom funcionamento geral do organismo, incluindo seu sistema imune 6.

Algumas vitaminas e minerais desempenham papéis importantes em sua imunidade. Eles atuam como antioxidantes, apoiam o crescimento e a atividade das células imunológicas e estão envolvidos na produção de anticorpos e substâncias anti-inflamatórias 6. São eles:

  • Zinco (castanhas, feijão, carne vermelha etc.)
  • Selênio (castanha-do-pará, semente de girassol etc.)
  • Ferro (feijão, carne vermelha, fígado etc.)
  • Cobre (castanhas e sementes etc.)
  • Ácido fólico (grãos integrais, espinafre, grão de bico etc.)
  • Vitaminas A (gema de ovo, cenoura, espinafre etc.)
  • Vitamina B6 (carnes, leite, ovos, banana, abacate etc.)
  • Vitamina C (frutas cítricas, brócolis, couve etc.)
  • Vitamina D (principal forma de obter é a exposição solar, mas está presente em alguns peixes gordurosos, cogumelos e gema de ovo)
  • Vitamina E (sementes, castanhas, amendoim etc.).

Essas vitaminas e minerais, na maioria das vezes, podem ter suas necessidades supridas naturalmente, através da alimentação e, no caso da vitamina D, também da exposição solar.

Porém, se for difícil obter esses nutrientes apenas dos alimentos que você ingere, ou dos momentos de sol no seu dia, você deve verificar com seu médico sobre a necessidade de suplementação.

Além disso, também é importante optar por suplementos bem avaliados e marcas responsáveis. Addera, por exemplo, vitamina D mais recomendada pelos médicos no país 7, tem Addera + Imunidade em seu portfólio, um complexo vitamínico com vitamina D e C, selênio e zinco para auxiliar o funcionamento do sistema imune.

 

Referências bibliográficas: